A LENDA DE SACI

A LENDA DE SACI

Quem batizou a Saci mal sabia que ela também seria uma lenda!  

A história já começa curiosa: A Grassi – empresa responsável pela fabricação dos primeiros ônibus do Brasil, em 1911 – desenvolveu um modelo de motoneta. Em plenos anos 1960, no auge do sucesso da Lambretta na Europa e no Brasil, que inclusive acabava de receber uma fábrica da marca.

Atualmente existem no máximo cinco unidades deste lote único, que desencadeou várias questões entre os amantes das motocicletas, pois ainda há dúvidas sobre sua história. Há quem afirme reconhecê-la pelo título de “Viking” ou simplesmente pela sua referência M1-175, proveniente do projeto belga adquirido pela fabricante.

Estima-se que foram fabricadas cerca de 300 unidades da Saci na época. A produção era totalmente artesanal, e reza a lenda que foi realizada em uma unidade da Grassi instalada dentro da CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos – em São Paulo, pois eram parceiras na época. Dizem que foram vendidas com condições especiais entre os funcionários das empresas, o que pode ser a razão pela qual a história da moto é tão pouco ou quase nada conhecida fora dos arredores de São Paulo.

 

A Saci tem autonomia de 600 km com um tanque de 12 litros, motor Sachs alemão todo em alumínio polido e dois tempos de 175 cc – o mesmo usado no carro Messerschmit da Alemanha. Isso fez dela diferente nos anos 60: design e tecnologia aliados ao visual diferente. A autonomia foi inclusive utilizada na publicidade da moto na época: mostrava a sede do Banespa e o Morro da Urca lado a lado, indicando que o comprador poderia ir de São Paulo ao Rio num tanque só.

Tivemos uma baita sorte, pois a Saci também veio com o seu manual totalmente preservado e plastificado – onde consta a sua especificação técnica, além de algumas fotografias e dicas de conservação e manutenção. Outra sorte foi encontrar o Osmani da Lambretta D’Época em São Paulo, restaurador especializado em motonetas, que além de restaurar nosso xodó, dividiu com a gente o pouco que sabe sobre a moto. Se a maior autoridade em restauro de motonetas de época sabe pouco sobre ela, é porque é realmente uma raridade.

 

Ainda há mistérios por trás dessa peça quase única. Você sabe algo sobre eles? Conte pra gente nos comentários!

Deixe um comentário

Close Menu